Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um passo nunca vem só

Um passo nunca vem só

Isto de correr está cheio de truques #43

Cumpri hoje a 11ª semana de plano de treinos acompanhada pela Rita Barroso no Equilibrium Centro Terapêutico. 11 semanas completamente novas para mim, habituada nos últimos três anos a correr "à la carte de quilómetros" e em grupo, em que dou por mim a correr "por encomenda de ritmo e duração" e sozinha 90% das vezes.

 

Era importante fazer esta introdução para falar daquilo que se passou hoje. Um treino livre de 2 horas. Senti-me manipulada e dei graças a Deus. Isto de raciocinar em quilómetro é tramado, em tempo de treino é diferente, e vai-se a ver... os quilómetros ficam feitos.

 

Se o meu plano hoje me tivesse "mandado" fazer 20km nem sei se tinha tido ânimo para me levantar da cama. Mas "mandava" correr 2 horas e eu encarei isto com tranquilidade e, sem querer, fiz um treino de 20,6km tranquilamente, sem pressão, sem o drama "ai-jesus-agora-tenho-que-ir-correr-uma-meiamaratona-sozinha".

 

Não custou? Custou, claro: apanhei vento de frente, ao fim de de uma hora já sentia uma moinha num joelho, outra num tendão de aquiles, ao fim de hora e meia comecei a sentir os músculos todos on-fire, parecia que tinha metido um spray refrescante daqueles que picam, só o pulmão é que nunca se queixou. E não se queixou porquê? Não havia a pressão dos quilómetros, o treino era de tempo/duração, e duas horas são duas horas a sprintar ou em modo arrastão e entendi que eram duas horas para fazer a sentir-me bem.

 

Chego à conclusão que isto de correr que é uma coisa tão simples como meter um pé à frente do outro, está afinal cheio de truques e progredir é tudo uma questão de descobrirmos aqueles que fazem mais sentido para nós. 

 

10 comentários

Comentar post