Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um passo nunca vem só

Um passo nunca vem só

Quando for grande quero... saber correr #37

Um Passo crescer.jpeg

 

Tantas foram as vezes que disse e outras que pensei: por 3 ou 4 km não vale a pena suar a camisola, treino de corrida que vale a pena dura uma hora (e outras coisas do género).

 

Longe vão os tempos em que correr 5 ou 6 km me sabia a pouco. Hoje tenho a sensação que tenho feito muita coisa ao contrário.

 

O meu percurso na corrida, mal comparado, ou não, faz-me lembrar a minha infância, aquela vontade desenfreada de crescer, usar os saltos altos da mãe, os colares e os chapéus da avó, de ser crescida depressa. Correr nos últimos 3 anos tem sido isto, uma vontade arrebatadora de fazer grandes distâncias, acumular muitos quilómetros, muitos treinos grandes, muitas provas, muitos desafios.

 

Na verdade foi tudo rápido, muito rápido, porque é possível, porque neste caso bastava mesmo querer e trabalhar (a cabeça e o corpo tanto quanto possível) para isso. Agora a sensação que fica é que não aproveitei cada etapa deste crescimento como deveria.

 

A grande diferença é que quando passas pela infância sem brincar na casinha das bonecas, sem ires ao escorrega, a infância passa e o rabo deixa de caber no escorrega e a altura já não te permite entrar na casinha das bonecas. Na corrida é te permitido (às vezes é mesmo obrigatório) voltar atrás, aprender a desfrutar dos 3 km, das corridas de 30 minutos, mesmo que já tenhas feito provas com 8 horas de duração. É estranho, mas é possível.

 

Não perdi o bichinho das longas distâncias, imagino-me ainda a fazer coisas grandes (e são as que mais me empolgam). Agora sinto-me como diz a música da Mafalda Veiga:

 

"É preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar para aprender a viver"

 

Quero correr, quero treinos, quero provas, quero continuar a superar-me, quero tudo a que tenho direito, incluindo os curtos também (nunca fiz um trail com menos de 15km e tenho pena!). Porque é verdade que ando a correr, mas não vou a fugir de nada, nem tenho pressa de chegar a lado nenhum.

 

O objetivo a mais curto prazo é voltar a ser capaz de correr os 10km com vontade, com prazer. Se for para ser com sacrifício, para castigar o corpo, faço já amanhã, mas não é o que quero.

 

Passito a passito, vale a pena pensar nisto!

2 comentários

Comentar post